As pessoas são animais de hábitos. Quanto mais rápido tomarmos consciência disso maior será a probabilidade de conseguirmos atingir os nossos objetivos. Neste artigo dou-lhe algumas dicas ou ideias para que possa adaptar os seus hábitos de vida. Depois a lei da inércia fará o resto.

Tome consciência dos seus hábitos

Para mudar de hábitos tem de tomar consciência de quais são os seus hábitos. Se quer mudar os hábitos de consumo, saiba a importância de conhecer o destino que dá ao seu dinheiro para que com isso consiga conhecer os seus hábitos de consumo.

Defina aquilo que mais valoriza

Muitos dos seus hábitos não são bons e tem a perfeita consciência disso. Falamos de hábitos como fumar (bem, há quem diga que fumar faz bem à saúde mental), como ter uma vida sedentária e não fazer desporto ou outros como tomar o café de manhã na copa a dizer mal dos colegas e dos chefes. Há outros hábitos que nos fazem muito bem e que temos de reforçar. Aqui não interessa apontar o dedo pois falamos de hábitos que se devem enquadrar nas nossas prioridades. E cada família tem as suas.

Seja exigente consigo e com os outros

Costumamos ser mais exigentes com os outros do que somos connosco próprios. Antes de mais, temos de cultivar uma cultura de exigência connosco próprios. Definir metas e ser exigentes no caminho para os atingir. E aqui falamos de valores que custam a reforçar mas que marcam a diferença pois são cada vez mais escassos, como o valor do trabalho, da honestidade, da confiança ou da perseverança. Antes de exigirmos dos outros temos de ser capazes de exigir de nós. Mas depois, podemos exigir para os ajudar a crescer.

Desprendimento

É um lugar comum mas… vivemos numa sociedade que valoriza demasiadamente o dinheiro e os bens materiais. E isso acontece desde cedo. Por exemplo, enquanto escrevo este artigo a minha filha mais nova está a ver o Panda e já levou com vários anúncios de brinquedos e afins. Nesta sociedade precisamos de comprar e de ter coisas. Valorizamos demasiado o dinheiro e somos mesmo capazes de fazer coisas desonestas (e ainda justifica-las para fazer bem à nossa consciência mal formada). Temos de perceber que os bens materiais são coisas boas mas que não são o centro das nossas vidas. Que o poder é interessante mas que traz consigo exigência e deveres que não devemos esquecer.

Esteja pronto para mudar

Ser desprendido e saber o que queremos é meio caminho andando para mudar de vida. Há coisas que compramos ou serviços que temos que são desajustados e que simplesmente não precisamos (talvez conheça muitas pessoas com pacotes de telecomunicações com 4000 canais e que apenas vê um). Esteja pronto para mudar. Mas para mudar tem de mudar primeiro o seu interior.