Numa altura em que o investimento imobiliário está na moda, gostava de chamar a atenção para algumas vantagens deste tipo de investimento. Algumas destas vantagens estão a suportar os preços dos imóveis pelo que importa conhecê-las.

Risco do Investimento

O imobiliário é considerado um investimento com um nível de risco potencialmente baixo. Na prática, ao comprar um imóvel, seja para arrendar seja para revender, está a comprar um ativo que tem um valor intrínseco. Ou seja, com reduzida probabilidade irá perder todo o seu dinheiro. Se perder algum dinheiro também não deverá ser assim tanto (pelo menos em termos percentuais) porque a casa tem um valor que não desaparece (pronto, se explodir com a casa poderá perder o seu dinheiro, mas assumindo que não somos doidos isso não deverá acontecer).

Alavancagem

Como os imóveis têm um valor intrínseco e como não podem ser simplesmente transplantados para outro lugar (daí o nome imóvel) servem de garantia para operações de crédito. Como sabemos, o custo do crédito está ligado ao valor das garantias que são dadas. Logo, se o imóvel é uma ótima garantia o custo do crédito irá ser mais baixo. Assim, a possibilidade de se endividar para comprar um imóvel torna-se financeiramente algo muito interessante, por duas vias:

  • Taxa de juro – A taxa de juro que irá suportar é das mais baixas do mercado, podendo em algumas alturas do ciclo económico ser muito perto de zero. Imagine o que é pedir dinheiro emprestado e pagar apenas o valor do capital em dívida? Já viu um negócio mais interessante do que este?
  • Prazo – Nos créditos com garantia hipotecária poderá ter prazos muito alargados, em alguns casos até aos 40 anos (o objetivo do Banco de Portugal é que o prazo máximo convirja para os 30 anos). Quanto maior o prazo, menor a prestação.

Valorização do imóvel

Bem, a valorização do imóvel não é uma garantia. Sendo provável que os imóveis possam valorizar com a inflação, tal não é garantido. Mas aqui entra a necessidade de fazer uma escolha ponderada e negociar bem o seu preço. Existem diversas oportunidades que se bem exploradas podem aumentar a probabilidade de comprar um imóvel a um preço abaixo do valor de mercado.

Evolução das rendas

A evolução das rendas é outro fator que poderá interessar. Na prática, se os contratos correrem como se espera, deverá ser possível que o valor das rendas evolua a par e passo com o valor da inflação. Mais uma vez, não é garantido, uma vez que pode depender da negociação do contrato ou da continuidade dos inquilinos. No entanto, tenderá a acontecer.

Porque gosto muito do investimento imobiliário?

Durante vários anos fui muito avesso a este tipo de investimento, talvez em grande parte fruto do desconhecimento. Com o tempo, fui aprendendo e também tendo experiências que foram aumentando a minha confiança e as minhas capacidades de prever a evolução das rendas e do preço. Assim, da minha experiência, tenho destacado algumas ideias que gostava de partilhar consigo:

  • Tenho investido no imobiliário com recurso a crédito habitação, o que me tem permitido ter uma prestação bancária bastante inferior aquilo que recebo dos meus inquilinos;
  • É fundamental escolher bem os inquilinos e procurar garantias adicionais (como o adiantamento de rendas e fiadores), mas não é garantido que estejamos sempre protegidos;
  • Um erro que cometi foi não ter feito logo um correto planeamento do meu investimento em termos societários. Se com uma casa funcionam alguns mecanismos legais, com várias casas poderemos ter alternativas mais interessantes;
  • Adoro ter um inquilino que me paga a prestação ao banco, me permite constituir uma carteira de ativos e ainda libertar algum rendimento mensal para reinvestir ou simplesmente para gastar;
  • É também fundamental conhecer bons agentes imobiliários que nos ajudem a encontrar boas oportunidades e a tratar de todas as burocracias. No entanto, as melhores oportunidades não estão nas agências, pois ter uma imobiliária implica ter uma comissão que tem de ser paga (o que baixa a margem negocial);
  • Ter um crédito habitação é mais um pretexto para ter um seguro de vida com um prémio mais baixo. Assim, não só invisto em ativos como me obrigo a mim próprio a proteger os meus descendentes caso me aconteça alguma coisa. Sim, podia fazer o seguro sem ter estes investimentos mas conhecendo-me como conheço… não o faria.

Gosto muito do investimento imobiliário e atualmente tem sido uma fonte interessante de rendimento e de rentabilidade. Deixo-lhe aqui algumas experiências em primeira mão, como sendo o meu primeiro investimento imobiliário em Lisboa e algumas dicas para começar a investir.